Pular para o conteúdo principal

Coletivo Desvelo apresenta “Praga da Dança” nos dias 10 e 11 de março em São Paulo



No dia 10, grupo de bailarinos se apresentará em frente Biblioteca Prestes Maia, às 14h. No dia 11, a apresentação será em frente ao Ponto de Leitura de São Mateus, também às 14h


Com apresentações nesta quinta (10/03) e sexta-feira (11/03), o Coletivo Desvelo levará a “Praga da Dança” para mais dois pontos de cultura da cidade de São Paulo. Desta vez, as apresentações serão em frente à Biblioteca Prestes Maia, no dia 10, às 14h; e em frente ao Ponto de Leitura de São Mateus, no dia 11, também às 14h. O espetáculo é gratuito.

Livremente inspirado no fenômeno de mesmo nome ocorrido na França em meados do século XVI,

“Praga da Dança” traz para as ruas da cidade a experiência de contaminação, de se exaustar para contaminar, a fim de instigar o público na ocupação dos espaços de circulação, imergindo assim numa grande dança celebração.

Trata-se de um efêmero acontecimento cênico nas ruas da cidade que traz à tona para os corpos presentes uma disputa dos limites físicos e mentais, atingindo colapsos entre matéria e espírito.

Praga da Dança evoca reminiscências corporais. Uma lembrança da dança oculta de cada corpo embarcando em um transe enfermo e místico com intuito de atingir sua exaustão para uma contaminação direta entre espaço, público e artistas.

A Praga da Dança

A Praga da Dança, ou Epidemia de Dança foi um caso de dançomania ocorrido em Estrasburgo, na França em julho de 1518. Na ocasião, diversas pessoas dançaram sem descanso por dias a fio e, no período de aproximadamente um mês, a maioria veio a falecer em consequência de ataques cardíacos, derrames ou exaustão.

O fenômeno teve início quando uma mulher, Frau Troffea, começou a interpretar passos frenéticos de dança numa rua da cidade de Estrasburgo aparentemente sem qualquer motivo. O fenômeno continuou a manifestar-se em torno de quatro a seis dias e numa semana, outras trinta e quatro pessoas já integravam a dançomania, sendo que, passado um mês, havia aproximadamente 400 dançarinos nas ruas.

Documentos históricos, incluindo "observações médicas, sermões catedráticos, crônicas locais e regionais, e mesmo notas divulgadas pelo conselho municipal de Estrasburgo" esclarecem que as vítimas estavam a interpretar passos de dança e não apenas se contorciam de forma aleatória. 

O motivo de essas pessoas dançarem obstinadamente até o esgotamento de suas energias jamais foi identificado.


Inspirado por este evento, o Coletivo Desvelo, por meio das danças contemporâneas, navega pelas memórias das sensações a fim de dar continuidade à praga: a praga volta, a praga pega.

Sobre o Coletivo Desvelo – O Coletivo Desvelo surge em 2013 com intuito de aproximar os artistas envolvidos a partir das somas e particularidades vivenciadas por cada intérprete presente. O objetivo é encontrar uma estética plural e coesa entre as danças contemporâneas e a relação do ser em sua dimensão cotidiana. A princípio, com trabalhos de dança voltados para a fotografia, teve sua primeira ação intitulada “Janela do Vazio”, onde a discussão da solidão e das relações de afeto, questiona a necessidade de fazer parte de algo, ou de uma tribo para se fazer necessário na sociedade. Já em 2015, com a criação do espetáculo de rua “Praga da Dança” (contemplado pelo Programa VAI I), o coletivo faz um resgate através de relatos e registros acometidos em meados do século XVI, onde uma manifestação de mesmo nome levou a França e suas autoridades ao caos/celebração dançante.

SERVIÇO:

Espetáculo de rua “Praga da Dança”

Coletivo Desvelo

Apresentação no dia 10/03 (quinta-feira), às 14h, em frente à Biblioteca Prestes Maia, à Av. João Dias, 822, Santo Amaro, São Paulo, SP.

Apresentação no dia 10/03 (sexta-feira), às 14h, em frente ao Ponto de Leitura de São Mateus, à R. Fortaleza de Itapema, 268, Jardim Vera Cruz, São Paulo, SP.

Espetáculo gratuito

Duração: 45 minutos

Classificação etária: livre

FICHA TÉCNICA

Direção e Concepção: Djalma Moura

Intérpretes-Criadores: Heloísa Amazonas, Mônica Caldeira, Victor Amaro, Juliana Nascimento e Djalma Moura.

Criação Musical: Leandro Perez

Figurino: Coletivo Desvelo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dançando na natureza: Pousada Faraó

Dia 31/05 fomos tomar café da manhã com Margarida Mittelbach, na Pousada A Marca do Faraó, em Cachoeiras de Macacu.





Uma promessa antiga agora cumprida, pois há muito a Margarida nos convida para conhecer as instalações de sua pousada, onde organiza trimestralmente um final de semana com oficinas de dança, bailes e atividades de lazer.








Realmente, um lugar aprazível, com lago com caiaque, lago para pesca, cachoeira, rios, boliche, sauna, jogos de mesa, enfim, toda uma infra-estrutura de pousada.











Mas, como estamos tratando com amantes da dança, todas essas opções de lazer eram supérfluas pois o que importava mesmo eram as aulas, em três ambientes distintos, onde se revezaram os professores Juarez (Itaguaí), Edu Cigano (Friburgo), Carlinhos (Jaime Arôxa Niterói), Valdeci de Souza e Jimmy de Oliveira.

Personagens da nossa história: Mário Jorge, o Rei dos Salões

Mário Jorge, o Rei dos Salões

Ele foi um dos maiores dançarinos – se não o maior – de nossos salões. Isto dito por inúmeras testemunhas que o viram criar nas pistas movimentos hoje incorporados definitivamente aos ritmos dançados a dois. Um trágico acidente o retirou das pistas e ele virou lenda. Décadas mais tarde, ao ser homenageado em um evento, eis que ele encontra a mulher da sua vida, que o ajudaria em sua reabilitação e o colocaria novamente sob as luzes dos holofotes.

Estamos falando de MÁRIO JORGE MESSIAS MATOS, o “rei dos salões”, como era chamado nos anos sessenta, que recentemente oficializou sua união com D. Íris Neira, queridíssima administradora da Academia Carlos Bolacha. Foi o casamento mais comentado dos últimos tempos (foto abaixo). “Nem provei do buffet, pois não paravam de nos fotografar”, comentou Íris.
.
Empenhada em pesquisar e divulgar a história do marido (“muitas fotos se perderam e, dos filmes, só consegui recuperar dois, que precisam ser restaurados”), Íris p…

Circulando: aniversário de Renata Peçanha

Dia 24/05/08 a professora Renata Peçanha comemorou seu aniversário com um super baile no CIB, em Copacabana.


Nossa musa do zouk fez várias apresentações com parceiros variados...


... dentre os quais, o dançarino Kiko.


Além de sua cia de dança, outros profissionais abrilhataram sua festa com apresentações especiais, como Fernando Schellemberger e Nayara Mello, campeões de salsa...


... e o professor vencedor da Dança dos Famosos V, Alvaro Reys, que fez duas apresentações com sua partner Helena Fernandez.

Além do Jornal Falando de Dança, vários representantes da imprensa especializada estavam presentes.

Destacamos aqui o trabalho de 4 jovens que se juntaram para fundar mais um site dedicado à divulgação dos eventos de nossa comunidade - o Arrasa no Blog -, responsável pela maioria das filmagens que reproduzimos a seguir.

Veja nosso photo-album AQUI.Veja mais fotos deste evento no Arrasa no Blog.Próximo evento de Renata Peçanha será o Zouk 14, a partir das 22h, em sua academia, no Centro do Rio.…