Curta nossa fanpage

Curta a página dos editores

Pesquisar:

BLOG FALANDO DE DANÇA, BY LEONOR COSTA

quinta-feira, 26 de junho de 2008

Pole Dance: saiba um pouco sobre as origens da dança e conheça a professora de dança de salão que treinou o elenco global


A professora Alexandra Valença e suas alunas no Projac

Como tudo o que aparece nas novelas, o Pole Dance, apresentado ao público na novela Duas Caras, ganhou destaque na mídia e despertou o interesse de leigos e profissionais para essa forma sensual de dançar. Nesta matéria, saiba um pouco sobre as origens da dança e conheça a professora de dança de salão que treinou o elenco global.

Dançar em volta de instrumentos verticais já era uma prática em culturas milenares da Ásia. O nome Mallakhamb, por exemplo, designa uma modalidade de ioga praticada num varão de madeira ou numa corda. Já o Mallastambha consistia no uso de um varão de ferro por lutadores, para aumentar a força muscular. De fato, os movimentos em torno da vara trabalha o condicionamento físico, fortalecendo, sobretudo a musculatura de braços, abdome e pernas.

Como a conhecemos no ocidente, a dança na vara, ou Pole Dance, surgiu na Inglaterra, passou para a Europa e foi para os Estados Unidos e Canadá, usada principalmente por dançarinas de “Strip tease” que incluíram essa performance em seus shows – o que criou grande preconceito à prática dessa arte por mulheres fora da área de exploração sexual. Aos poucos, porém, esse preconceito está sendo deixado de lado e o número de adeptas da Pole Dance vem aumentando, abarcando desde senhoras da terceira idade até pré-adolescentes, que recebem treinamento diferenciado dos adultos.

O que é Pole Dance?
O Pole Dance é uma forma de dança que incorpora movimentos giratórios e posições estáticas, posições invertidas e movimentos de dança transitórios, trabalhando a flexibilidade, a força muscular e a consciência corporal. Existem inúmeras combinações de movimentos, todos eles exigindo a manipulação do corpo entre acrobacias. A dança pode ser adaptada a qualquer estilo de música, dependendo dos movimentos, do modo que são executados e do ritmo utilizado na coreografia. “O elemento chave da execução perfeita da Pole Dance está na arte de combinar, de forma elegante e graciosa, posições e movimentos acrobáticos com a interpretação musical. Como o Pole Dance não tem limites, toda mulher, de qualquer idade, é capaz de dançar”, escreveu a professora de Pole Dance, Renata Wilke, em seu blog “pole-dance. blogspot.com”.

 Destaque global

Apesar de hoje ser reconhecida como arte, a Pole Dance só chegou ao conhecimento do grande público através de sua exposição na novela Duas Caras, da Rede Globo, tendo como garota-propaganda a atriz Flávia Alessandra. Poucos sabem, porém, que por trás do treinamento da atriz e de seleto número de artistas globais está a professora de dança de salão Alexandra Valença, proprietária da academia “Casa Di Baile”, em Ribeirão Preto, São Paulo, e hoje estabelecida na capital paulista, onde continua ministrando aulas de dança de salão, mas também lutando para derrubar barreiras de preconceitos e difundir a prática da Pole Dance, sua paixão.

Sobre Alexandra Valença.
Alexandra nasceu em Recife e aos 7 anos iniciou estudos no balé clássico e na ginástica olímpica, fazendo também arte circense. Em 97, já dançarina profissional de frevo, ingressou na dança de salão e tornou-se professora. Na Pole Dance ela ingressou por acaso, quando, já estabelecida em Ribeirão Preto, foi convidada a participar de um concurso de uma revista masculina.  A premiação era muito boa e eu não precisava tirar a roupa. Nas eliminatórias, via um monte de meninas bonitas e boazudas fazendo o mais tradicional dos strippers, nada demais, porém o que me chamava a atenção era o Pole Dance, que elas faziam de forma amadora, sem muita técnica, mas para mim era novidade e eu consegui enxergar algo interessante. Na minha vez, enquanto todas dançavam músicas sensuais, eu entrei com uma salsa e um zouk, não poderia ser diferente para que eu pudesse fazer com alma. Usei os passos do balé, do circo e da dança de salão para enriquecer a performance – e tirei primeiro lugar!”, recorda Alexandra.
   A partir daí Alexandra decidiu mergulhar de cabeça no estudo dessa arte e se profissionalizar. Chegou a fazer aulas com uma dançarina tcheca que estava de férias no Brasil, mas a maior parte do conhecimento adquiriu com vídeos didáticos enviados por uma tia que morava nos EUA.

Em entrevista ao nosso jornal, Alexandra nos conta sobre seu trabalho de divulgação dessa arte, eis alguns trechos da entrevista:

Sobre o uso de sua experiência como professora de dança de salão, na pole
“Uso zouk, tango eletrônico, boleros... Minha aula é uma viagem à dança de salão, não sei fazer diferente e as alunas adoram”.

Sobre o convite para treinar o elenco de Duas Caras
“Foi exigido que além de professora de pole dance eu realmente fosse professora de dança, depois me 
explicaram que é um cuidado que eles têm com as atrizes”.

Sobre o perfil de quem procura esse tipo de dança:
 “Está bem diversificado”. Tenho desde casadas que não gostam de malhar e querem fazer uma atividade física, até as que querem seduzir os seus maridos. Tem a mulherada que viu na novela e quer aprender com a professora da Flávia Alessandra (as que gostam de modinha mesmo), até as que querem aprender o pole em si. Minha aluna mais nova tem 13, mas esta eu não deixo fazer aula em grupo, a aula dela é mais direcionada para a idade dela, sem todo aquele enfoque sensual. A mais velha tem 56”.

Sobre se a pole vai continuar em destaque após a novela:
“Em destaque talvez não, mas agora o meu objetivo já foi atingido. Os modismos de novela das oito sempre passam, nós da dança de salão sabemos muito bem o que é isso. Porém o Pole Dance já ficou, ele já foi inserido no Brasil. A modinha eu quero mesmo que passe, pois, assim, ficam apenas os que realmente gostam e estarão dispostos a continuar a luta junto a mim”.

Nenhum comentário:

Postagens populares