Pesquisar:

BLOG FALANDO DE DANÇA, BY LEONOR COSTA

quinta-feira, 5 de junho de 2008

Tango


Corporación Tango em apresentações únicas no Rio, em Belo Horizonte e em São Paulo
No Rio, a apresentação será seguida de uma milonga especial, organizada por Aparecida Belotti
Os ingressos no Rio estão quase esgotados

Em entrevista exclusiva ao Jornal Falando de Dança, Aparecida Belotti nos conta detalhes sobre a vinda do famoso grupo de bailarinos e sobre seu envolvimento com o tango.

No Rio, quem conhece tango com certeza já ouviu falar em Aparecida Belotti e nos bailes por ela realizados. Além dos bailes, Aparecida frequentemente traz à cidade alguns dos maiores nomes do tango da atualidade para aulas e shows, proporcionando à comunidade grandes oportunidades de reciclagem e contato com professores e artista. Para junho, a promoter organiza um grande baile show no belíssimo salão nobre da Associação dos Empregados no Comércio, Centro do Rio, cuja atração será o grupo argentino Corporación Tango, de grande destaque na Argentina e de fama internacional. Sobre este e outros assuntos ela concedeu a seguinte entrevista ao Jornal Falando de Dança.

Como se envolveu com o Tango?
- Foi por acaso, tomei contato com ele, me interessei em estudá-lo, fui me deixando envolver por sua música, por sua história. Quando vi, estava completamente apaixonada. Pesquiso tango há 20 anos.

E a dança?
Comecei a ter aulas de tango com Paulo Araújo. Depois fui me especializando com outros profissionais. Conheci e fiz aulas com vários, como Gustavo Naveira, Sérgio Natario y Alejandra Arrue, Rodolfo Cieri y Maria, Graciela Gonzalez, Dina Martinez, Célia Blanco, Pibe Avellaneda, Aurora Lubiz e Jorge Firpo (foram os que mais me marcaram), Julio Balmaceda e Corina de la Rosa, Ana Maria Chapira... nossa, foram muitos! Mantive um apartamento em Buenos Aires por mais de dez anos, tamanha era a freqüência com que lá ia, para fazer aulas. Hoje continuo indo regularmente à Argentina, fiz grandes amizades lá.


Como se tornou promoter?
Também aconteceu naturalmente, de meu desejo de oferecer algo diferenciado à comunidade tangueira daqui, com meu toque pessoal, demonstrando toda a experiência que acumulei com todos esses anos de envolvimento com o tango. Na época era a única mulher a realizar um baile de tango com sua própria seleção musical (creio que hoje a Marcinha também faz a seleção musical dela). Para isso, realizei muitas pesquisas, sobre as orquestras e o movimento musical. Fora isso, procurei dar todo um toque de sofisticação às minhas milongas, em especial à Milonga Real, que realizava no Sírio e Libanês, até o fechamento do Clube.

Foi quando também passou a trazer profissionais argentinos para workshops...
Isso fiz desde o início. Sempre incentivei a vinda de profissionais de alto nível ao Rio, para ministrar aulas. Primeiramente para mim, depois, atendendo aos pedidos dos amigos, passei a organizar os workshops para a comunidade tangueira. Foi uma forma de também contribuir para a promoção do tango na cidade, proporcionando aos dançarinos mais uma oportunidade de especialização, incluindo os shows que eles sempre faziam. Além disso tenho um ótimo relacionamento com todos os profissionais do tango do Rio, que estão sempre presentes nos eventos que organizo. Nas minhas milongas, tem sempre aula de tango com profissionais cariocas, uma hora antes. E para o baile-show com o Corporación Tango vários de nossos profissionais também se apresentarão.

E já que falamos em eventos, vamos falar do baile-show com o Corporación Tango?
É a realização de um antigo sonho. Trabalhando sem patrocínio, era muito difícil para mim trazer grandes grupos ao Rio, normalmente trazia um professor ou um casal. Alejandra Armenti y Daniel Juarez, diretores do Corporación Tango, já vieram ao Rio ministrar aulas e se apresentar no Clube Sírio Libanês, na Milonga Real, a meu convite, mas os custos eram altíssimos para trazer o grupo deles, famosíssimo na Argentina, onde dão shows altamente técnicos e de uma plasticidade maravilhosa, em teatros e nas melhores casas de shows de Buenos Aires. Foram aplaudidíssimos quando se apresentaram no Japão e ano passado tiveram o mesmo sucesso na Nova Zelândia.

Como foi possível trazê-los agora?
Foi graças à formação de um pool com promotores de eventos de tango: Confraria do Tango, em São Paulo; El Abraço, em Belo Horizonte; e, no rio, a Bello Tango Produções, que é a minha empresa.

Pretende continuar promovendo outros eventos desse porte?
A expectativa é continuar mesclando apresentações de profissionais do tango nacional com nomes internacionais. Foi assim ano passado, com o espetáculo Tango Glamour, no Teatro dos Quatro, Shopping da Gávea. E agora com o baile-show do dia 5 de junho. Mas estamos negociando a vinda de um grande nome do tango internacional, só não posso adiantar nada agora.

Um comentário:

Isabelle disse...

Eu gostaria de saber se para um trabalho de escola eu poderia fazer como um bate papo com um profissional para responder perguntas sobre o tango.
atenciosamente
Isabelle

Postagens populares