Pular para o conteúdo principal

Seminário: Historicidade da Dança de Salão

Centro Coreográfico apresenta
SEMINÁRIO:

HISTORICIDADE DA DANÇA DE SALÃO E OS 200 ANOS DE SOCIEDADES DANÇANTES
ATIVIDADE GRATUITA
Data: 23 de abril de 2016, sábado
Horário: das 10h às 17h00
Classificação etária: livre
Vagas: 40
Local: sala de conferências do Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro
Rua José Higino 115 – Tijuca – Rio de Janeiro – RJ
(junto ao hipermercado do Extra da Avenida Maracanã)
Acessibilidade:
Elevadores e rampa; estacionamento rotativo no subsolo; metrô Uruguai, saída José Higino
Certificação: Centro Coreográfico e AMAragão Eventos

SOBRE O PROJETO

Com mediação da gestora cultural Diana De Rose, dois pesquisadores (Leonor Costa e Marco Antonio Perna), um historiador (Nei Santos) e um antropólogo (Felipe Berocan) proferirão palestras tecendo um painel sobre o comportamento social dos habitantes do Rio desde a introdução da dança de salão como entretenimento da alta sociedade, passando pela era das dezenas de gafieiras que se espalhavam pelo Centro e subúrbios da então capital do país, na primeira metade do século XX e terminando no século XXI, nos bailes promovidos pelas inúmeras academias de dança de salão espalhadas pela cidade. O aspecto comportamental do povo carioca será estudado sob o viés da cultura da dança de salão e o que ela representou para as camadas menos abonadas da população, no seu direito ao lazer.

O objetivo é promover a divulgação de novos olhares sobre a dança de salão carioca, proporcionar o intercâmbio de informações, promover a análise sistemática de fatos através de raciocínios e reflexões, estimular a interlocução com a plateia, apresentando um assunto que interessará não só a estudantes e profissionais da dança, mas ao público em geral, por relatar costumes e fatos curiosos de nossa história. Como a declaração do poeta e jornalista Olavo Bilac, membro fundador da Academia Brasileira de Letras, que, em 1906, diante da febre de bailes na cidade, declarou: “Nós somos um povo que vive dançando”.

Profissionais envolvidos:

Mediadora: DIANA DE ROSE, graduada em dança, gestora cultural, exerceu cargos na Funarte (Coord. Dança), na SMC (gerente de dança) e no Centro Coreográfico (diretora artística), atualmente na Coordenação de Elenco Cerimônias Cariocas 2016 dos Jogos Olímpicos Rio 2016.





Palestrante 1: LEONOR COSTA, jornalista, editora do jornal Falando de Dança, curadora da exposição “200 anos de ensino de dança de salão no Brasil” (C. A. C. Gulbenkian, 2011), pesquisadora na exposição “Rio Dança - Nos Passos da Dança Carioca” (Centro Coreográfico, 2012). Tema: contexto histórico da dança de salão no Rio de Janeiro antes e depois da chegada da corte portuguesa, em 1808.



Palestrante 2: NEI JORGE DOS SANTOS JUNIOR, professor, doutorando em Estudos do Lazer (UFMG), e Mestre em História Comparada UFRJ). Tema: Bilac e a geografia moral da cidade: os clubes dançantes nos subúrbios do Rio de Janeiro.






Palestrante 3: FELIPE BEROCAN VEIGA, prof. adjunto GAP/ICHF-UFF, prof. efetivo PPGS-UFF, pesquisador LeMetro/IFCS-UFRJ e INCT-InEAC/UFF. Tema: Gafieiras Cariocas. Onde o centro e o subúrbio da cidade se encontram.








Palestrante 4: MARCO ANTONIO PERNA, editor do site Agenda da Dança de Salão Brasileira, pesquisador, autor do livro “Samba de Gafieira: a história da dança de salão brasileira” e organizador da coletânea “200 anos de dança de salão no Brasil”. Tema: Academias de Dança de Salão: os “grêmios recreativos” do século XXI.






Produtor Executivo: ANTONIO ARAGÃO, diretor da AMAragão Produções e Eventos; jornalista e editor do Jornal Falando de Dança; membro do corpo diretor da Associação dos Profissionais e Dançarinos de Salão do Estado do RJ (APDS/RJ).







Assistente de produção: DAVID THEODOR, professor de danças de salão e formando em dança pela Faculdade Cândido Mendes; diretor do Centro Cultural Taquara, diretor de comunicação da Associação dos Profissionais e Dançarinos de Salão do RJ (APDS/RJ).





Assistente administrativo: AMAURY ESPINOZA, designer gráfico; músico; assistente administrativo da AMAragão Produções e Eventos.





TEMPO DE DURAÇÃO DE CADA TEMA:

·    40 minutos de exposição
·    20 minutos para debates

DINÂMICA

  • 10h - credenciamento para a certificação
  • 10h45 / 11h00 – abertura dos trabalhos (mediadora, Diana De Rose)
  • 11h00 / 12h00 – painel 1 (Leonor Costa) + tempo para perguntas
  • 12h00 / 13h00 – painel 2 (Nei Santos) + tempo para perguntas
  • 13h00 / 13h45 – coffee break
  • 13h45 / 14h00 - reinício dos trabalhos (mediadora, Diana De Rose)
  • 14h00 / 15h00 – painel 3 (Felipe Berocan) + tempo para perguntas
  • 16h00 / 17h00 – painel 4 (Marco Antonio Perna) + tempo para perguntas
  • 17h00 / 17h30 – fechamento (mediadora, Diana De Rose) / entrega dos certificados

Informações: (21) 99489-5225 / contato@jornalfalandodedanca.com.br



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dançando na natureza: Pousada Faraó

Dia 31/05 fomos tomar café da manhã com Margarida Mittelbach, na Pousada A Marca do Faraó, em Cachoeiras de Macacu. Uma promessa antiga agora cumprida, pois há muito a Margarida nos convida para conhecer as instalações de sua pousada, onde organiza trimestralmente um final de semana com oficinas de dança, bailes e atividades de lazer. Realmente, um lugar aprazível, com lago com caiaque, lago para pesca, cachoeira, rios, boliche, sauna, jogos de mesa, enfim, toda uma infra-estrutura de pousada. Mas, como estamos tratando com amantes da dança, todas essas opções de lazer eram supérfluas pois o que importava mesmo eram as aulas, em três ambientes distintos, onde se revezaram os professores Juarez (Itaguaí), Edu Cigano (Friburgo), Carlinhos (Jaime Arôxa Niterói), Valdeci de Souza e Jimmy de Oliveira. Claro que as comidinhas caiam muito bem com o clima de montanha do local. Mas até o almoço e o jantar eram dançantes, com uma pausa pa

Personagens da nossa história: Mário Jorge, o Rei dos Salões

Mário Jorge, o Rei dos Salões Ele foi um dos maiores dançarinos – se não o maior – de nossos salões. Isto dito por inúmeras testemunhas que o viram criar nas pistas movimentos hoje incorporados definitivamente aos ritmos dançados a dois. Um trágico acidente o retirou das pistas e ele virou lenda. Décadas mais tarde, ao ser homenageado em um evento, eis que ele encontra a mulher da sua vida, que o ajudaria em sua reabilitação e o colocaria novamente sob as luzes dos holofotes. Estamos falando de MÁRIO JORGE MESSIAS MATOS, o “rei dos salões”, como era chamado nos anos sessenta, que recentemente oficializou sua união com D. Íris Neira, queridíssima administradora da Academia Carlos Bolacha. Foi o casamento mais comentado dos últimos tempos (foto abaixo). “Nem provei do buffet, pois não paravam de nos fotografar”, comentou Íris. . Empenhada em pesquisar e divulgar a história do marido (“muitas fotos se perderam e, dos filmes, só consegui recuperar dois, que precisam ser restaurados”),

Comunicado importante: links para acessar nosso conteúdo

Informamos aos nossos distintos visitantes que este blog está em processo de atualização. Enquanto isso, algumas dicas, caso queiram continuar nos prestigiando como seguidores: As edições do Jornal Falando de Dança poderão ser acessadas diretamente em nossa estante virtual no site Issuu. Baixe o app Issuu e leia as edições a qualquer tempo, em seu dispositivo móvel. Segue o link: www.issuu.com/dancenews. Nossa fanpage no Facebook é atualizada diariamente: https://facebook.com/JornalFalandoDeDanca . O perfil da editora do jornal, Leonor Costa, na mesma rede, também é atualizado diariamente: facebook.com/dancadesalao.bicentenario . As coberturas fotográficas do JFD estão postadas na fan page do JFD no Facebook, segue o link: https://www.facebook.com/pg/JornalFalandoDeDanca/photos/?tab=albums As antigas postagens de fotos desta página ainda poderão ser acessadas pela aba "fotos" ao lado da logo. Livro de visita: enquanto não reativamos aqui nosso livro de visitas, de