Curta nossa fanpage

Curta a página dos editores

Pesquisar:

BLOG FALANDO DE DANÇA, BY LEONOR COSTA

quarta-feira, 20 de março de 2013

Espaço Furnas Cultural Apresenta: Tributo a Waldir Azevedo - 90 anos


23 e 24/03 – sábado às 20h, domingo às 19h


O show do virtuoso e showman Ronaldinho do Cavaquinho é uma viagem pela história da música instrumental e do choro.

Considerado o herdeiro de Waldir Azevedo, Ronaldinho do Cavaquinho presta uma bela homenagem ao mestre do choro, que comemoraria seus 90 anos em 2013.

Sobre Waldir Azevedo:

Waldir Azevedo foi um pioneiro que retirou o cavaquinho de seu papel de mero acompanhante no choro e o colocou em destaque como instrumento de solo, explorando de forma inédita as potencialidades do instrumento.

Nasceu em 1923 na cidade do Rio de Janeiro, no bairro da Piedade, e passou a infância e a adolescência no bairro do Engenho Novo. Manifestando interesse em música ainda criança, Waldir conseguiu comprar uma flauta transversal aos sete anos de idade, depois de juntar dinheiro capturando passarinhos e vendendo-os.

Já adolescente, conheceu um grupo de amigos que se reunia aos sábados para tocar e, por influência deles, acabou por trocar a flauta pelo bandolim. Pouco tempo depois trocou o bandolim pelo cavaquinho, instrumento que deixou de lado quando o violão elétrico ganhou projeção no Brasil.

Durante a década de 1950 fez grande sucesso com composições como "Brasileirinho", "Pedacinhos do Céu", "Delicado", "Chiquita" e "Vê Se Gostas", e as composições de Waldir o projetaram internacionalmente. Durante 11 anos viajou com seu conjunto por países da América do Sul e Europa, incluindo duas viagens patrocinadas pelo Itamaraty na Caravana da Música Brasileira. Suas composições tiveram gravações no Japão, Alemanha e Estados Unidos, onde Percy Faith e sua orquestra atingiram a marca de um milhão de cópias vendidas com uma gravação de Delicado. Waldir chegou a participar de um programa na BBC de Londres, transmitido para 52 países.

Abaixo uma das composições mais famosas de Waldir


Em 1964, com a morte de sua filha Miriam aos 18 anos, afastou-se da música. Mudou-se para Brasília em 1971, aos 48 anos, onde sofreu um acidente com um cortador de grama onde quase perdeu seu dedo anular, e foi forçado a ficar sem tocar por um ano e meio. Após cirurgias e fisioterapia, recuperou-se e voltou a gravar.

Waldir Azevedo morreu em 1980 na Beneficência Portuguesa de São Paulo em decorrência de um aneurisma da aorta abdominal, poucos dias antes de começar as gravações de um novo álbum — meticuloso, Waldir ainda deixou instruções para os músicos gravadas em fita cassete.


O Espaço Furnas Cultural fica na Rua Real Grandeza, 219 – Botafogo – Rio de Janeiro

Retirada de ingressos

Os ingressos serão distribuídos 1 hora antes dos espetáculos, na portaria da Rua Real Grandeza, 219, e serão limitados à capacidade do auditório: 170 lugares.

Fonte: Espaço Furnas Cultural

Nenhum comentário:

Postagens populares